Adega Luis Pérez

Versão em espanhol

 

Vista desde la bodega Luis PérezBodega Luis Pérez, vista 2Hacienda VistahermosaCampo de GirasolesBodega Luis Pérez, vista 3Vinos Bodega Luis PérezViñas Bodega Luis PérezJardin, Bodega Luis PérezPatio, bodega Luis PérezBodega Luis Pérez

Adega Luis Pérez, entre a tradição e a modernidade

Uma manhã na qual os ventos do levante e o calor sufocante decidiram fazer tréguas, um pouco antes da entrada para a mítica cidade de Jerez de la Frontera, subindo um caminho entre os campos de girassóis amarelos abertos ao céu e o branco desértico dos solos jerezianos, cheguei à adega Luis Pérez onde soube de imediato, que esta visita seria diferente das outras em solo gaditano.

No cimo da colina se situa a fazenda Vistahermosa, comprada em 2002 por Luis Pérez. 25 hectares de terra, uma fazenda antiga e o terreno puro de trigo e girassóis foi transformado em vinha e negócio familiar. Mas esta adega não é como qualquer outra. Após muitos anos de trabalhar na adega Pedro Domecq, investigando e dando aulas na Universidade de Cádiz, viu aqui a oportunidade de diferenciar-se, de semear  a inovação e criar  tintos em terras de vinhos de Jerez. Esta grande peculiaridade não foi apoiada pelo meio e foi de certa forma rejeitado por parte do sector da restauração, mas, pouco a pouco começou a ganhar o respeito de ambos.

O nome de Vistahermosa não foi ao acaso, está situada num dos pontos mais altos da zona e a propriedade está desenhada para desfrutar da maravilhosa vista do campo, das vinhas, do litoral e até da ponte de Cádiz em dias claros.

A visita foi dirigida por Virginia, membro da adega, quem conseguiu transmitir-me perfeitamente a paixão e o amor que têm por criar vinhos de autor de qualidade.

Vinhas

Para Luis Pérez a uva e a vinha são os protagonistas da sua adega. Segundo a sua filosofia, é aqui onde se deve fazer a maior parte do trabalho, para favorecer os aromas primários da fruta e assim diminuir o trabalho da adega, que deve ser apenas para corrigir algum excesso ou defeito. Por esta razão, a adega devia estar no meio dos 17 hectares de vinhas.

Na vinha o controlo é rigoroso, por isso se realizam podas estritas deixando apenas três polegares em cada braço do tronco, o que gera uma baixa produção de uvas, já que se procura qualidade e não quantidade, e se garante que a fruta seja de melhor classe.

Após uma análise exaustiva para detectar se a uva está no ponto adequado para a vindima, as uvas são recolhidas manualmente pelo pessoal local com anos experiência e é feita durante a noite para evitar qualquer forma de fermentação espontânea.

Resgatando as uvas autóctones locais

É sabido que em Jerez, na época dos romanos se produzia vinho tinto. Chegaram a existir cerca de 30 variedades de uvas. Contudo, quando as exportações de vinho de Jerez dispararam, deixaram de semear as espécies autóctones da zona para assim plantar as variedades mais rentáveis, Palomino Fino e Pedro Ximénez.

Um dos principais objetivos da adega Luis Pérez é resgatar, pouco a pouco, estas espécies que se foram perdendo ao longo do tempo. Atualmente conseguiram recuperar a variedade Tintilla de Rota que até esta data lhes há permitido brincar na hora de criar os seus vinhos.

Um aspeto divertido e pedagógico é que um sector da vinha está dedicado ao visitante. Nesta zona se pode ver, tocar, cheirar, saborear e comparar as 20 distintas variedades da uva, locais, nacionais e estrangeiras.  Neste sector foi possível semear outra uva local, a “Melonera” e espera-se que pouco a pouco se possam ir recuperando muitas outras.

Adega

A Adega de Luis Pérez é um edifício moderno que contrasta com a  renovada fazenda localizada ao lado; é aberta com paredes de vidro e madeira, que convida a apreciar a vista. O seu design se inspira e não deixa de ter em mente ao protagonista do local, o vinho.

Em cima, o centro de eventos. Em baixo, a adega onde começa a alquimia.

Processo de vinificação

Depois da vindima, as uvas se colocam na máquina de seleção, onde manualmente se elimina qualquer resto indesejável que se tenha colocado no processo de recoleção. De seguida passa diretamente para as cubas (vinificação por gravidade) onde se realizam macerações curtas a baixa temperatura; posteriormente, o mosto passa a barricas de carvalho francês (70%) e americano (30%).

A qualidade das barricas, ao ser uma peça fundamental na formação da personalidade do vinho, também está sob controlo e são substituídas a cada três anos.

Vinhos em prova

GarumGarum tinto 2015

Vinho da terra de Cádiz

Castas: Merlot, Syrah e Petit Verdot

Grau alcóolico: 14,5%

Preço: 8,75€

12 meses de estágio em barricas de carvalho francês e americano

Garum apresenta um nariz um pouco mineral, frutado com notas de cereja e groselha. Também se podem apreciar notas de baunilha e café.

A boca está de acordo com o nariz, um vinho com acidez equilibrada e frutado onde se destaca a cereja. É especiado e apresenta um ligeiro apimentado. Final de boca médio.

Vino Tintilla 2013, Bodega Luis PérezTintilla 2013

Vinho da terra de Cádiz

Casta: 100% Tintilla de Rota

Grau alcoólico: 14,5%

Preço: 15€

16 meses de estágio em barricas de carvalho francês

Este vinho me fez recordar os da região de Dão, no norte de Portugal. Em nariz é muito agradável, com especiarias como a pimenta e o cravinho com notas de frutos pretos e baunilha.

Em boca é fino, elegante e estruturado, com notas de especiarias e cereja preta, os seus taninos são redondos e apresenta uma boa acidez. Persistência curta.

 

Vino Marismilla 2015, Bodega Luis PérezMarismilla rosé 2015

Vinho da terra de Cádiz

Casta: 100% Tintilla de Rota

Grau alcoólico: 13,5%

Preço: 7,25€

Contacto com a película durante 2 horas, não estagia em madeira.

Este vinho foi criado com a finalidade de apresentar um rosé de qualidade,

Apresenta um aroma muito agradável frutado (frutas brancas e cereja).

Em boca entra facilmente, tem uma boa acidez, um vinho muito equilibrado excelente para beber só ou com acompanhamento.

Mais a provar

Lançamento de novos vinhos:

Brevemente a adega Luis Pérez trará ao mercado 3 novos vinhos:

  • Muelle (vinho branco da variedade Palomino)
  • Triángulo (vinho tinto monovarietal de Tintilla)
  • Jerez fino (produzido sem adição de açúcar e sem o método de “criaderas e soleras”)

Em resumo, visitar a adega Luis Pérez é pisar solo entre dois mondos que te ajudam a compreender de onde vêm os vinhos de Jerez e imaginar até onde podem chegar. Os vinhos de esta adega são o resultado de um exaustivo controlo que vai desde o solo, a plantação, a mão-de-obra que alí trabalha, até o processo de criação dos vinhos. Durante todo o processo, as uvas são mimadas com extremo amor e atenção obtendo estes vinhos, que com sotaque do sul, contam histórias.